A organização deposita a sua confiança e crença no trabalho que cada voluntário abraça, e também espera:

  • Que execute o seu trabalho de forma responsável e autónoma.
  • Tenha iniciativa própria.
  • Participe activamente na vida do projecto/actividade no qual está inserido.
  • Seja aberto e respeite a população com que trabalha.
  • A possibilidade de apoiar acções concretas que os projectos de MdM desenvolvem na ajuda às populações mais carenciadas.
  • A realização de acções de formação sobre temas técnicos e operativos ligados ao trabalho humanitário.
  • A oportunidade de testemunhar sobre o seu trabalho voluntário, nos canais de comunicação da associação (revista, plataformas online e afins) e em meios de Comunicação Social.

Depois da selecção, realiza-se um briefing de integração, durante o qual receberá toda a informação sobre o projecto ou acção que vai integrar, a função a desempenhar, a informação sobre a organização, nomeadamente sobre a missão, os valores, e as actividades em curso da organização. No final, haverá uma reunião com a Área de Recursos Humanos, durante a qual se revêem todas as questões práticas com o voluntário.

As áreas onde se podem desenvolver actividades de voluntariado, de forma regular e/ou pontual, são as seguintes:.

  • Emergência Humanitária.
  • Projectos Nacionais.
  • Apoio Administrativo.
  • Acções de Comunicação, Marketing e Captação de fundos.

Todos aqueles que estejam interessados em fazer voluntariado com a Médicos do Mundo podem fazê-lo das seguintes formas: 

  • Preencher o formulário disponível no nosso site.
  • Solicitar uma entrevista com o coordenador de voluntariado e preencher o formulário em papel.
  • Responder a uma vaga publicada no site ou noutro meio de comunicação.

Em todos os casos, os dados do potencial voluntário são integrados numa base de dados. Esta é utilizada sempre que necessitamos de apoio para um projecto ou actividade.
 

Os voluntários que colaboram com a nossa associação não têm necessariamente formação na área da saúde, existindo voluntários de outras áreas como a antropologia, direito, comunicação social, etc.


Existem várias áreas de actuação em que os voluntários podem intervir, desde o apoio a projectos específicos, à colaboração em acções de sensibilização e à participação em grupos temáticos.

A sede da nossa Associação funciona em Lisboa, contando a capital também com uma representação no Bairro da Picheleira (Olaias). Além disso, existem outras duas representações: uma no Porto e outra em Évora. O trabalho que desenvolvemos depende do apoio dos 200 voluntários activos, 280 sócios e dos nossos 13 mil doadores activos da Médicos do Mundo.

Sem o contributo importante dos voluntários que colaboram com a Associação Médicos do Mundo, o nosso trabalho seria, certamente, bem mais difícil. Para saber como se pode tornar voluntário na MdM, por favor visite a nossa área de Voluntariado.

As doações são fundamentais para que o trabalho da nossa Associação possa ser contínuo. Para mais informações sobre como se tornar doador da MdM, por favor visite a nossa área de Doadores.

Desenvolvimento

Projectos de médio e longo prazo, com o objectivo de semear as bases de um desenvolvimento em saúde mais amplo e sustentado:

Projectos Nacionais e Internacionais
Acções destinadas às pessoas excluídas da nossa sociedade, que vivem à margem dos recursos sociais a que têm direito. 

Informação, Educação e Comunicação
Iniciativas que visam informar a opinião pública das mais esquecidas questões, que passam a ser objecto de divulgação e educação. 

Emergência

Ajuda de carácter urgente em regiões afectadas pela fome, guerra, epidemias ou catástrofes naturais.

A nossa Associação intervém, ao nível nacional e internacional, na prevenção, educação, informação e apoio ao tratamento nas seguintes áreas: VIH/Sida, Água, Saneamento e Higiene, Cuidados Primários de Saúde, Saúde Sexual e Reprodutiva, Saúde Materno-Infantil e Apoio Psico-Social.

O nosso trabalho assenta no direito fundamental de todos os seres humanos terem acesso a cuidados de saúde, independentemente da sua nacionalidade, religião ou ideologia.
O facto de esse direito fundamental não ser garantido a um muito significativo número de pessoas, quer em Portugal quer no estrangeiro, justifica a acção da nossa Associação.
Esta concepção alarga o campo de acção da nossa organização à denúncia das injustiças sociais junto da opinião pública, para que o aumento da consciência social de cada um, seja a garantia da recusa das injustiças cometidas todos os dias um pouco por todo o mundo. 
Neste contexto desenvolvemos projectos nacionais em Lisboa, Porto e Évora. No que toca a projectos internacionais, estamos em Timor-Leste, Moçambique, Angola, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.

A Associação Médicos do Mundo tem quatro objectivos principais, nomeadamente:

- a mobilização de parceiros para uma acção solidária dentro e fora da área da saúde;
- a denúncia das violações de direitos humanos através de actividades e testemunhos e, em particular, denúncia das barreiras no acesso aos cuidados de saúde;
- o desenvolvimento de novas abordagens e novas práticas de saúde pública, baseadas no respeito pela dignidade humana;
- o compromisso no estabelecimento de relações totalmente transparentes com doadores e patrocinadores.

Sob o lema “Lutamos contra todas as doenças, até mesmo a injustiça…”, a nossa Associação tem por missão prestar cuidados de saúde às populações mais vulneráveis, quer em situações de emergência quer no combate à exclusão social, fora e dentro do país. A Associação estimula, igualmente, o empenho voluntário de médicos e de outros profissionais de saúde. Por último, a MdM também empenha-se em garantir o apoio de outros profissionais qualificados, necessários para um bom desempenho das nossas missões.

A Associação Médicos do Mundo (MdM) é uma organização não-governamental de ajuda humanitária e cooperação para o desenvolvimento, sem filiação partidária ou religiosa. Fazemos parte de uma rede internacional, constituída por 15 delegações, nomeadamente na Alemanha, na Argentina, na Bélgica, no Canadá, na Espanha, nos Estados Unidos, na França, na Grécia, na Holanda, na Itália, no Japão, em Portugal, no Reino Unido, na Suécia e na Suíça.

Como organização não-governamental de ajuda humanitária e cooperação para o desenvolvimento, a prestação de cuidados globais de saúde é o pilar da nossa acção. Não combatemos apenas a doença; lutamos por fazer chegar aos mais desprotegidos um conceito alargado de saúde, que inclui o bem-estar físico, psíquico e social, tal como foi definido pela Organização Mundial de Saúde na conferência que decorreu em 1979 em Alma Ata.