Em apenas 48 horas, 30 mil pessoas fugiram de Rann, no nordeste da Nigéria, de modo a escapar à violência de um grupo jihadista do Boko Haram. Uma equipa da delegação francesa da Médicos do Mundo está a intervir no campo de Teacher’s Village de modo a prestar cuidados de saúde às populações afectadas.

Charles Kiplangat, coordenador de emergência da Médicos do Mundo na Nigéria, declara que o campo de Teacher’s Village registou até ao momento a entrada de 29 125 deslocados, sobrecarregando as capacidades iniciais do campo, que apenas suporta 10 000 pessoas. No campo existem apenas 30 latrinas e 30 casas de banho disponíveis, tornando fracas as condições de higiene. Actualmente, mais de quatro mil famílias necessitam de alimentação.

No terreno, a equipa está a prestar cuidados de saúde sexual e reprodutiva, saúde mental e suporte às vítimas de violência com base de género.

 

Nos últimos dias, dezenas de milhares de pessoas têm sido deslocadas pelo agravamento da violência do Boko Haram na Nigéria. Um recente aumento da violência no nordeste da Nigéria levou mais de 80 mil pessoas a refugiarem-se em acampamentos e cidades no Estado de Borno nos últimos dias, enquanto outros milhares fugiram para os vizinhos Camarões. A ACNUR afirmou que cerca de 30 mil pessoas fugiram da cidade de Rann pela fronteira com Camarões no fim de semana passado, temendo que o Boko Haram volte a atacar. 


“À medida que o país se dirige para uma eleição geral, em Fevereiro, o estado de Borno tem experienciado uma tensão crescente que levou ao fluxo maciço de pessoas.” – refere Charles Kiplangat, coordenador de emergência da Médicos do Mundo na Nigéria.


As equipas no terreno temem que a situação piore devido ao fluxo, ainda em curso, de pessoas descoladas e ao aumento da violência que fará com que mais pessoas fujam à procura de segurança. 

Este bloco está em falta ou com um erro. Talvez esteja a faltar conteúdo ou talvez seja necessário ativar o módulo original.