Sara Moinhos

Ficha Técnica

Área de Intervenção
Detecção Precoce do VIH/SIDA e IST
Duração
De Março a Setembro de 2019
Localização
Porto
Descrição

A Representação Norte da Médicos do Mundo, com sede na cidade do Porto, trabalha com as populações de difícil acesso na área do VIH/Sida desde 2004, num primeiro momento na prevenção da infecção e desde 2014 na detecção precoce da infecção VIH e IST’s. 


Temos sido financiados pela DGS, no âmbito do Programa Nacional para a Infecção VIH/Sida, através de uma equipa de rua que com recurso a uma Unidade Móvel garante nos concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde e Matosinhos: acesso à prevenção, através da distribuição de preservativos masculinos, femininos, gel lubrificante e acções individuais e colectivas de educação para a saúde; a realização do rastreio das infecções por VIH, VHB, VHC e Sífilis e a adequada referenciação dos reactivos, nos grupos dos Homens que têm Sexo com Homens, Trabalhadores do Sexo e seus clientes, População sem-abrigo, Utilizadores de Drogas Intravenosas e Populações Migrantes; o acesso a programas de redução  de riscos e minimização de danos e de prevenção da infecção pelo VIH no grupo de Utilizadores de Drogas Intravenosas – troca e distribuição de material asséptico para consumo de heroína e cocaína por via fumada e endovenosa.


A vasta experiência de trabalho na área do VIH, em particular com as populações de difícil acesso, permitiu-nos adquirir um «saber fazer», « saber estar » e « saber ser » muito próprio, que nos leva a ser reconhecidos como entidade de referência pelos clientes e parceiros. Ao longo dos últimos 15 anos crescemos e evoluímos, sempre na tentativa de acompanhar a evolução da epidemia e por isso, diversificamos actividades, qualificamos a equipa, integramos várias redes de trabalho interinstitucional e chegamos a populações novas e desafiantes para nós. O facto de passarmos a ter disponível o teste rápido, conseguirmos uma referenciação dos testes reactivos num prazo máximo de 48h, de integrarmos a Rede de Rastreio Comunitária e a Rede Positivo, de iniciarmos parcerias com bares e saunas Gay, integrarmos o Porto Gay Circuit, permitiu-nos chegar a um grupo-alvo novo para nós que telefonam, enviam mail ou aparecem na sede, na expectativa de realizar o teste naquele momento e em gabinete. Esta situação, nova e surpreendente para nós, dificulta a gestão e compromete a qualidade dos serviços que prestamos (uma vez que os técnicos que dispomos estão fora das instalações em equipa de rua) mas obriga-nos também a reinventar, adaptar e, mais uma vez, crescer e melhorar.
 

Objectivo Geral

Contribuir para o alcance das metas da ONUSIDA: 90-90-90

90% das pessoas que vivem com VIH, a saber que têm o vírus;

90% das pessoas diagnosticadas com VIH a receber tratamento; 

90% das pessoas em tratamento com carga viral indetectável.

Objectivos Específicos

      Aumentar o conhecimento do estado serológico da população do projecto

     Garantir a referenciação hospitalar dos testes reactivos para o VIH, VHB, VHC e Sífilis

     Contribuir para o conhecimento epidemiológico e comportamental em Portugal dos públicos-alvo

Público-Alvo

População Geral; Imigrantes; Trabalhadores Sexuais (TS) e seus clientes, Homens que fazem sexo com Homens (HSH)

Recursos Humanos

1 Coordenador, 1 Enfermeiro e 2 infecciologistas em regime de voluntariado

Parceiros
Centro de Saúde de S. João
Fórum Nacional da Sociedade Civil para o VIH-SIDA
Laboratório Médico de Análises Clinicas Dr. Luís Marinho
R3 - Redução de Riscos em Rede
Rede de Rastreio Comunitária
Rede de Trabalho Sexual
Rede Positivo
UCC Baixa do Porto
Unidade de Saúde Pública Porto Oriental
Financiadores

Projecto financiado pela ViiV Healthcare

Actividades

1)    Realização de Testes Rápidos VIH, VHB, VHC e Sífilis  
2)    Referenciação Hospitalar dos testes reactivos VIH, VHB, VHC e Sífilis
3)    Religação aos cuidados de utentes com diagnóstico (VIH, VHB, VHC e Sífilis) e sem adesão a tratamento
4)    Distribuição de material preventivo e acções individuais de educação para sexo seguro
5)    Informação e Educação para a Saúde
6)    Aplicação do Questionário de conhecimentos e atitudes face ao VIH
7)    Monitorização e avaliação do projecto

Resultados

90% dos utentes com teste reactivo (VIH, VHB, VHC e Sífilis) aceitam encaminhamento para teste confirmatório e referenciação hospitalar
90% dos utentes recebe material preventivo e beneficia de acções individuais de Educação para Sexo Seguro
40% dos utentes referem ter usado preservativo na última relação sexual
80% dos utentes beneficiam de acções individuais de informação
80% dos utentes responde ao questionário de conhecimentos e atitudes face ao VIH.