RSS Facebook Twitter YouTube BlogSpot
SIGA-NOS
RECEBA A NOSSA
REVISTA FACE
insira o seu endereço electrónico

Rede MdM Internacional
Ajude-nos a combater o isolamento dos nossos idosos
9-8-2017

Ajude-nos a combater o isolamento dos nossos idosos


Em Portugal, 400 mil idosos vivem sozinhos. É preciso agir e combater o isolamento social, promover o envelhecimento activo e garantir a saúde na terceira idade. Já temos 4 projectos que o fazem.
Ajude-nos a abrir mais portas. 



O isolamento social em Portugal e consequências para a saúde

Segundo os últimos censos, em 2011, 400 mil idosos portugueses viviam sozinhos, o que representa 4% da população idosa a nível nacional. O isolamento social é consequência de vários factores e resulta na falta de contacto ou interacção com a sociedade e com instituições, nomeadamente, com as de saúde.

“(…) num estudo científico publicado em Abril deste ano, declararam que o isolamento social pode prejudicar gravemente a saúde, aumentando o risco, em 30% de doenças cardíacas ou acidente vascular cerebral (AVC)” (Santos, F, 2016, p.10)

O isolamento social da população idosa está intrinsecamente ligado à solidão, que conduz aos sentimentos de exclusão e falta de pertença à sociedade no qual o(a) idoso(a) se insere. Em termos de saúde, o isolamento social pode conduzir a alguns factores de risco, entre os quais físicos, psicológicos e sociais, influenciando a taxa de morbilidade e mortalidade nesta faixa etária.

“O isolamento social é uma ameaça à saúde (WHO, 2009) pois está associado a um declínio no bem-estar físico e mental, infelicidade, saúde precária, doença e menor esperança de vida e pode causar desnutrição, declínio do funcionamento cognitivo e patologias mentais (WHO, 2002 e 2005); aumenta o risco de incapacidade, morte precoce, doença cardíaca (…) depressão e suicídio” (Santos, F, 2016, p.16)

Para combater o isolamento social, é necessário promover o envelhecimento activo, a interacção entre os idosos e garantir o acesso a cuidados de saúde que contribuam para o seu bem-estar físico, psicológico e social.

Uma vez que muitas pessoas vivem isoladas, é preciso garantir o apoio domiciliário, que permite a percepção da qualidade de vida dos idosos, as sinalizações, as respostas de cuidados básicos de saúde e o encaminhamento para entidades competentes.

O combate ao isolamento social dos idosos apoiados pela Médicos do Mundo

Para promover o envelhecimento activo e combater o isolamento social da população idosa, a Médicos do Mundo trabalha em Lisboa e no Porto, com 4 projectos activos, dedicados à promoção do bem-estar físico, psicológico e social na terceira idade. 

Entre as várias actividades, as equipas da Médicos do Mundo garantem os cuidados básicos de saúde através das visitas domiciliárias e rastreios, promovem a o envelhecimento activo com actividades lúdicas de grupo, garantem a segurança dos idosos nas habitações através das adaptações domiciliárias e introdução de ajudas técnicas e incentivam à interacção dos idosos com o grupo de voluntariado sénior. Neste último, os idosos são responsáveis por visitar outras pessoas da terceira idade que necessitam de companhia.

"Contextualizando à realidade da cidade do Porto e graças ao Projecto Terceira (C)Idade, acreditamos que uma das grandes prioridades na intervenção junto da população idosa é promover/ manter a autonomia e independência, de forma a favorecer a permanência nos domicílios e a retardar a institucionalização, através de pequenas adaptações domiciliárias e/ ou introdução de ajudas técnicas. 

A promoção do envelhecimento ativo é um desafio para a sociedade atual, onde se pretende que os idosos vivam mais, com maior qualidade de vida e que os anos vividos sejam plenos de significado e dignidade." – Sara Moura, Terapeuta Ocupacional da Médicos do Mundo.

Para que possamos abrir mais portas, combater o isolamento social dos idosos e garantir o acesso a cuidados básicos de saúde precisamos de si.

Comece por abrir esta porta e ajude quem mais precisa: https://goo.gl/tJKhLu