RSS Facebook Twitter YouTube BlogSpot
SIGA-NOS
RECEBA A NOSSA
REVISTA FACE
insira o seu endereço electrónico

Rede MdM Internacional

PROJECTOS NACIONAIS


Apoio à população idosa - Terceira (C)Idade







Duração: De Março de 2016 a Março de 2017. 
País: Portugal.
Localização: Cidade do Porto.
Áreas de Intervenção: Envelhecimento.





Contexto

As alterações no padrão epidemiológico, nos comportamentos sociais e familiares e o progressivo envelhecimento demográfico, levam-nos a compreender a emergência de se organizar respostas mais adequadas às necessidades das pessoas idosas.

Este projecto surge como tentativa de resposta a necessidades identificadas ao longo da execução do Projecto Terceira (C)Idade, financiado pela Direção Geral de Saúde entre 2010/2014, nomeadamente colmatar necessidades ao nível da criação de ambientes/domicílios funcionais para a população idosa, contribuindo para a permanência dos séniores no seu ambiente familiar.

De acordo com informações do Instituto Nacional de Reabilitação (INR), a promoção da acessibilidade constitui um elemento essencial para o pleno exercício de direitos de cidadania consagrados na Constituição Portuguesa, contribuindo decisivamente para um maior reforço dos laços sociais, para uma maior participação cívica de todos e, consequentemente, para um crescente aprofundamento da solidariedade no Estado social de direito.

No entanto, temos verificado que existe uma larga percentagem de edifícios, espaços e instalações que não satisfazem as condições mínimas de acessibilidade e que colocam limitações aos cidadãos que deles pretendem, legitimamente, fruir.

Contextualizando à cidade do Porto, a sua especificidade geográfica e arquitectónica e características do edificado oferecem grandes obstáculos que limitam/condicionam a mobilidade, a autonomia e independência e a participação dos idosos. Não raras vezes, constituem factores de isolamento, solidão e, até mesmo, exclusão social.

Baseando-nos nos dados relativos ao Porto Solidário – Diagnóstico Social do Porto (2009), sabemos que as pessoas idosas estão entre os grupos humanos mais vulneráveis e carentes de atenção no que se refere ao acesso a condições de habitação condigna, de saúde, de segurança e de cuidados sociais. Segundo o mesmo documento, surgiram relatos de casos de pessoas encontradas sozinhas em habitações degradadas e em estado de extrema vulnerabilidade pessoal, conforme testemunho dado, por exemplo, pelos «agentes policiais de proximidade» e por cidadãos vizinhos. Estes idosos assumem uma atitude defensiva e de protecção da sua privacidade e encaram a possibilidade de retirada do lar em favor de um processo de institucionalização como uma ameaça. Desta forma, torna-se imperativo as práticas/dinâmicas de proximidade sociocomunitária, desenvolvidas numa lógica de articulação entre instituições, serviços e redes de voluntariado social. Constatou-se ainda que condições de habitabilidade, de mobilidade e de acessibilidade, foram os aspectos mais referidos como inibidores da sua participação social e como reforço do isolamento e da solidão, equacionados numa lógica de causa e efeito.

Acreditamos que através de pequenas adaptações domiciliárias e através da introdução de ajudas técnicas/produtos de apoio é possível prevenir, compensar, monitorizar, aliviar ou neutralizar qualquer impedimento, limitação da actividade e restrição na participação cívica da população idosa (ISO, 2007).
Objectivo Geral

Contribuir para a permanência dos séniores em ambiente familiar, através da criação de domicílios funcionais.

Objectivos Específicos

Em 12 meses, melhorar os determinantes de autonomia e independência (incluindo o risco de queda) da população sénior nos seus próprios domicílios em 70% dos casos identificados.

População-Alvo

Pessoas com mais de 65 anos, residentes no concelho do Porto.

Recursos Humanos

- 1 Coordenadora;
- 1 Terapeuta Ocupacional;
- Grupo de Voluntariado Sénior.

Financiadores

- Câmara Municipal do Porto;
- Fundos próprios.

Parceiros


- Câmara Municipal do Porto: Porto Solidário – Fundo de Emergência Social
- Rede Social do Porto
- Help-phone
- Encontrar+se – Associação para a Promoção da Saúde Mental
- Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto
- UCC Baixa do Porto
- Associação CAIS
- Espaço T – Apoio à Integração Social e Comunitária
- Podo Invicta – Consultório Clinico do Pé
- VOU – Associação de Voluntariado Universitário
- Óptica José&José Lda.
- Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional do Porto
- Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
- Junta de Freguesia de Paranhos
- União de Freguesias Cedofeita, Sto. Ildefonso, Sé, Miragaia, S. Nicolau e Vitória  (parceria informal)
- Programa Integrado de Policiamento de Proximidade (PIPP) (parceria informal)


Actividades

- Visitas domiciliárias (avaliação de sinalizações e visitas de seguimento);
- Introdução de Ajudas Técnicas;
- Adaptações Domiciliárias, incluindo higienização dos espaços;
- Educação Terapêutica.

Resultados esperados

- Em 12 meses, introduzir ajudas técnicas adaptadas a 80% da população com necessidades identificadas;
- Em 12 meses, efetuar adaptações em 80% dos domicílios inadaptados;
- Em 12 meses, 80% dos idosos acompanhados pelo projeto sabem identificar corretamente situações propícias ao risco de queda.






Bookmark and Share