RSS Facebook Twitter YouTube BlogSpot
SIGA-NOS
Rede MdM Internacional

PROJECTOS NACIONAIS


Apoio à população excluída - Porto Escondido



Duração
: De Agosto de 2017 a Julho 2018.
País: Portugal.
Localização: Concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia e Vila do Conde.
Áreas de Intervenção: Detecção Precoce e Prevenção do VIH e SIDA e Infecções
Sexualmente Transmissíveis (IST).
 

Contexto

De acordo com o relatório "Portugal Infecção VIH/SIDA e Tuberculose em números” durante o ano 2015 foram diagnosticados em Portugal 990 novos casos de infecção por VIH, correspondendo a uma taxa de 9,6 novos casos por 100 000 habitantes.

À data da notificação, a região Norte continua a ser a segunda região com maior número de novos casos, (19,9%). A maioria dos diagnósticos (99,9%) ocorreu em indivíduos com adultos, as características clínicas dos novos casos de infecção indicam que a maioria era assintomática (70,6%), embora os dados disponíveis indicam que cerca de 49% das pessoas com infecção pelo VIH são diagnosticadas tarde e 30,0% com doença avançada. Dos 238 casos que referiam ter nascido noutro país, 63,0% eram originários de países situados na África subsariana e 22,6% de países da América latina.  Os casos em Homens que têm Sexo com Homens (HSH) corresponderam a 40,5% dos casos em que há informação disponível sobre o modo de transmissão e constituíram a maioria dos novos diagnósticos em homens (53,8%). 

Por fim, estima-se que, em Portugal, milhares de pessoas estão infectadas com os vírus da hepatite B e hepatite C e desconhecem o seu estatuto serológico. Tendo em consideração que essas infecções são as principais causas da cirrose e do cancro do fígado (carcinoma hepatocelular), urge uma intervenção de proximidade, direccionada para o rastreio e referenciação dos testes reactivos, assegurando ainda o acompanhamento psicossocial dos indivíduos que se encontram em situação de maior fragilidade.

Em suma, consideramos que os dados nacionais disponíveis são demonstrativos da pertinência da continuidade da intervenção na população-alvo de forma a contribuir para diminuir a morbi mortalidade por VIH e IST´s.

Objectivo Geral 

Em 12 meses, contribuir para a diminuição da transmissão do VIH, IST´s e Hepatites Víricas em população vulnerável, dos concelhos do Porto, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia.

Objectivos Específicos

- 60% da população contactada reconhece comportamentos preventivos face à infecção VIH e IST, contribuindo simultaneamente para o conhecimento epidemiológico e comportamental em Portugal dos públicos-alvo.

- 75% dos utentes contactados têm acesso ao Sistema Nacional de Saúde.

- 40% da população contactada conhece o seu estado serológico por intermédio da equipa do projecto.

- Garantir a referenciação hospitalar a, pelo menos, 70% dos testes reactivos para o VIH, VHC, VHB e Sífilis.

Actividades 

1)      Apoio Psicossocial.

2)      Prestação de Cuidados Directos de Saúde.

3)      Realização de Testes rápidos VIH, Sífilis e Hepatites Víricas com referenciação hospitalar.

4)      Troca e Distribuição de Material de Consumo com educação para o consumo.

5)      Distribuição de materiais preventivos e educação para práticas sexuais preventivas.

6)      Informação e Educação para a Saúde.

7)      Questionário de avaliação de conhecimentos e atitudes – VIH.

8)      Monitorização e avaliação do projecto.

Resultados Esperados

- 60% dos utentes aderem às actividades de aconselhamento do projecto (factores cognitivos e de percepção face ao risco, competências de minimização do risco).

- 60% dos utentes usufruem de apoio psicossocial.

- 33% dos utentes contactados trocam material de consumo injectado na equipa do projecto.

- 49% dos utentes contactados trocam material de consumo fumado na equipa do projecto.

- 60% dos utentes recebe material informativo e beneficiam de acções individuais de informação.

- 60% dos utentes recebe material preventivo e beneficiam de acções individuais de educação para sexo seguro.

- 75% dos utentes do projecto têm acesso ao SNS (Centro de Saúde, consulta de especialidade, Equipas de Tratamento de dependências, equipas RRMD,…).

- 40% dos utentes contactados têm vacinas em dia.

- 25% dos utentes contactados fizeram rastreio à Tuberculose.

- 41% dos utentes realizam teste rápido VIH.

- 17% dos utentes realizam teste rápido VHB.

- 25% dos utentes realizam teste rápido VHC.

- 41% dos utentes realizam teste rápido Sífilis.

- 98% dos utentes com teste reactivo para VIH, VHB, VHC e Sífilis  aceitam encaminhamento para teste confirmatório e referenciação hospitalar.

- 70% dos utentes encaminhados efectuam teste confirmatório e são referenciados a ambiente hospitalar. 

População-Alvo
- Homens que fazem sexo com Homens (HSH).
- Imigrantes (com especial atenção aos que se encontram em situação administrativa irregular).
- Pessoas em situação de Sem-Abrigo (PSA).
- Pessoas que utilizam Drogas (PUD).
- Trabalhadores Sexuais (TS).

Financiadores
- Fundos Próprios 
- Projecto co-financiado pela Direcção-Geral da Saúde.
Logo DGS  
Parceiros

- Abraço.

- Ambimed.

- AMI.

- AMI Gaia.

- APDES.

- APDES – Porto G.

- ARRIMO – Projecto Âncora.

- Associação dos Albergues Nocturnos do Porto.

- Centro CAIS Porto.

- Centro GIS.

- Fórum Nacional da Sociedade Civil para o VIH-SIDA.

- Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

- Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

- Norte Vida – Casa de Vila Nova.

- NPISA Porto.

- Projecto “Menos Tuberculose Porto”.

- R3 – Redução de Riscos em Rede.

- Rede de rastreio comunitária.

- Rede Positivo.

- Rede Social do Porto.

- Rede Trabalho Sexual.

- SEF, OIM e JRS.

- SPMS – Programa Troca de Seringas.

- UCC Baixa do Porto.

- Unidade de Saúde Pública Porto Ocidental.

- Unidade de Saúde Pública Porto Oriental.

Recursos Humanos

- 1 Coordenadora.

- 1 Técnico Social.

- 1 Psicólogo.

- 2 Enfermeiros.

- 1 Educador de Pares. 

- 6 Médicos (em regime de voluntariado).

Veja aqui o horário da equipa. 

Bookmark and Share